segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Domingo

Por algum motivo eu e o domingo não nos damos bem. Parece que todo domingo um mal estar entra em meu corpo e de jeito nenhum sai. Domingo é um dia tedioso, é um dia deprimente, é um dia perfeito para um suicídio. 
O domingo me olha nos olhos e fica me encarando, eu para não brigar com ele e simplesmente esquece-lo tento escrever alguma coisa ou bebo ou ambos. 
Ontem acordei ao meio dia. Lavei meu rosto, escovei os dentes e fui para a cozinha. Fui a panela e servi o meu prato com a comida. Comi minha refeição bebendo um latão de cerveja. Terminei a refeição, me servi um copo de coca-cola e vim para o computador escrever algo. Liguei a televisão e pow, um soco do domingo em minha cara. A programação da televisão aberta no domingo é pior que cerveja quente. Voltei ao computador e comecei a escrever o post de ontem. Abri um garrafa de heineken e a bebi enquanto despejava toda aquela merda em meu teclado. Terminei o post e fui re-ler ele para ver se tinha algum erro muito grande, mas antes peguei mais um latão de cerveja. Re-li o texto e não achei nenhum erro muito visível tendo em conta que estava um pouco bêbado.
Terminei meu latão e fui pegar outro na geladeira. Diabos não tinha mais cerveja. Voltei ao computador e resolvi tentar escrever algum poema, quando alguém bate a porta. Era Carlos que é meu tio, Edson um amigo nosso e o Alex meu primo.
-Eae vagabundo vamos tomar umas - perguntou Carlos
-Claro - respondi.
Fomos até nosso bar preferido e começamos a beber cerveja em garrafas de um litro. 
Depois de terminarmos a quarta Carlos falou:
-Essa foi a ultima, estou quebrado
Eu também -resmunguei 
Alex meu primo estava tomando um refrigerante pois não bebe. Então do nada Edson se poem de pé e fala.
-Eu tenho um fardo de latão la em casa vamos pega-lo. 
Como bons bêbados, fomos atras da nossa cerveja. 
O problema é que o Edson mora muito longe e como estávamos sem dinheiro tivemos que ir de bicicleta.
Após meia hora de uma boa pedalada chegamos até a casa do Edson. Ele entrou em sua casa e logo voltou com uma mochila nas costas. Voltamos com as bicicletas pedalando com as bicicletas até a minha casa. Chegando em minha casa puis as cervejas no congelador e fomos para a rua conversar enquanto elas gelavam. 
Quando voltamos elas já estavam geladas. Tomamos todas olhando um filme aqui no computador. Depois disso Edson mostrou para nos uma nota de cinquenta e nos convidou para voltarmos ao bar. Voltamos ao bar e então começamos a beber cerveja de litro novamente. 
Tive um branco, não sei o que aconteceu após isso. Só lembro de braços e pernas passando rápido em minha frente. Também lembro do Carlos falando:
-Não importa, depois eu pego ele. Quem ele acha que é?
E cuspindo sangue com o seu nariz muito inchado e vermelho.

Lembro também do Edson caindo de bêbado e chorando.
Acordei a uma da manha muito pálido e com muito enjoo. Fui correndo ao banheiro e vomitei. Olhei meu rosto no espelho e estava com alguns pingos de sangue seco e com o olho roxo. Estava com muita dor em meu pé, no estomago e em um dente. Com meu dedo encostei no dente e vi que ele esta mole.
Lavei o rosto, fiz um gargarejo com água, lavei as mão e fui para a sala. Sentei no sofá e olhe minhas mãos. Elas estavam muito machucadas e esfoladas. Olhei meu pé e estava com três dedos inchados e uma das unhas tinha caído. Eu não sei o que aconteceu mas com certeza eu soquei e chutei algo.
Fui a geladeira e tomei um pouco de água. Fui correndo ao banheiro e vomitei novamente. Fui a pia lavei meu rosto e minha boca e olhei no espelho e falei.
-Domingo seu filha da puta, desta vez eu ganhei.

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Adolescentes ctrl+c e ctrl+v

Ontem eu tinha de ir para a natação. Tomei um banho, me vesti, arrumei minha mochila com os equipamentos da natação. Tudo pronto, puis minha mochila nas costas e atravessei o patio até o portão. Sai do meu patio e ganhei a rua, caminhei até a esquina dobrei a direita e depois fui reto até chegar a parada.
Era um dia sem sol um pouco nublado, estava fresquinho e com um ar de chuva. Um bom dia para esperar um ônibus. Tinha um rapaz na parada esperando o ônibus, ele é o tipo de adolescente popular que habita as escolas e as ruas do nosso pais. Ele tinha cabelo espetado com gel, camiseta colada com a gola V  fazendo estilo musculoso. Ele ficou lá ouvindo sua musica em uma caixa de som do tamanho do meu braço.
Quando noto que um outro individuo como ele dobra a esquina e vem em direção a parada. Para do lado dele e eles se cumprimentam e começam a conversar. Se você olhar para eles não sabe quem é quem. Eles simplesmente são iguais. A maioria dos adolescentes hoje em dia são iguais. Parece que eles foram copiados e colados,são todos iguais. Gostam do que os outros gostam. Simplesmente eles são assim para ser aceito e para se sentir parte de um grupo. Pessoas que não tem uma personalidade em especial que preferem seguir os outros do que andar por si só.
Eles começaram a conversar sobre o Big brother.
- Cara tu viu o big brother ontem?
-Não vi cara eu tava pra fora.
-Mas sabe aquela loirinha?
-Aquela gostosa?
-Sim! Nossa que loca boa.
-Pode crer.
-É.
-Pois é.
Ai param de conversar e me encararam por um tempo. Eu os encarei de volta até que eles parecem de me olhar. Então voltaram a conversar.
-Ei cara tu viu aquele chevette tunado?
-Sim. Ele tem dois 12 e quatro cornetas.
-Massa.
-Pode crer.
-É.
-Pois é.
Graças a Deus o ônibus chegou quando eles começaram a falar sobre a novela das oito.

O amor é um vicio

No começo do ano passado (2011) comecei novamente o curso de Inglês. Este ano a turma era diferente. Novas pessoas, novos rostos, velhos hábitos. Diferente das outras turmas, eles eram um pouco mais velhos. Todos da minha faixa de idade ou mais velhos. Pessoas de boa família com  bastante dinheiro e aquele ar de limpos e bonitos.
De rapazes era apenas eu e outro menino que até hoje não consegui decorar o nome, e o resto eram todas garotas. Garotas bonitas com roupas bonitas e que cheiravam bem. Todas eram muito encantadoras mas em especial uma. Ela tinha longos cabelos loiros, seu rosto era de um lindo branco que ficava ainda mais bonito com o azul de seus olhos. Seu nome era Fernanda. Quando a vi me admirei com sua beleza e conforme o tempo passava e ia ouvindo as suas conversas, vi que ela era diferente das outras, ela tinha assunto, ela era simpática, engraçada, ela era perfeita. Logo me apaixonei por ela e não conseguia tirar ela da cabeça.
Eu tinha que falar com ela. Tinha que convidar ela para sair. tinha que conquistar ela. Mas como? Sou apenas um ser humano comum enquanto ela estava acima de tudo isso.
Com o tempo fui vendo quem realmente era ela, via que ela não era o que eu pensava. Vi que na verdade ela estava no meio de toda a merda assim como eu, você e o nosso presidente da republica. Só queria tirar ela da minha cabeça, parar de pensar nela. Mas hoje é o segundo dia seguido que sonho com ela. Estou em crise de dependência, eu sou viciado e ela é a minha droga.

sábado, 25 de fevereiro de 2012

Comece a pensar mais

Hoje em dia a informação esta cada vez mais rápida. Alguma coisa acontece em outro lado do mundo e em pouco tempo já esta sendo anunciada em vários meios de comunicações. Estamos sendo bombardeados por informações por todos os lados. Cada vez que você liga seu computador ou sua TV mais e mais informações vão sendo jogadas em seu cérebro. Muitas vezes estas informações já chegam "mastigadas" ao seu publico. A verdade que o publico tem preguiça de pensar, tem preguiça de ter de ter um ponto de vista sobre o assunto. Preferem que o ponto de vista já chegue criado pela mídia por preguiça de pensar. 


O nosso povo só é escravizado hoje em dia por que foi tirada a sua capacidade de pensar, sua capacidade de ter uma opinião própria sobre o assunto. A noticia já mostra quem é o bandido e quem é o mocinho da historia e ao publico só resta aceitar. Vamos começar a pensar, vamos começar a questionar. Vamos ver ambos lados da historia e depois refletir, trocar opiniões. Não vamos deixar que uma mídia nos controle. Você tem um cérebro, comece exercita-lo. Deixe de ser burro.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

O começo

Blog criado no intuito de contar um pouco mais da minha vida por meio deste personagem nomeado Rank. Aqui contarei o que achar importante que acontecer futuramente em minha vida. Também por meio deste blog comentarei algumas noticias e coisas do tipo sempre expondo minha opinião sobre o fato. Leiam minha opinião e se quiser de a sua nos comentários. Neste blog não haverá moralismo, falarei sobre qualquer coisa não importa o que. Ofender não é o objetivo mas se sentir ofendido poderá sair e voltar sua linda e perfeita vida e nunca mais voltar. Postarei quando der e ou quando acontecer algo que mereça ser postado aqui. Erros de português são bem vindos. Isso é tudo por hoje, talvez amanha poste alguma coisa.